(43) 3336-8556

Como ser um bom líder no Laboratório de Análises Clínicas

22 dez 2016

Como ser um bom líder no Laboratório de Análises Clínicas

A liderança é uma competência essencial em qualquer atividade profissional. Em um laboratório de análises clínicas, o bom gestor é aquele que não só exerce bem as suas atividades, mas também tem o poder de incentivar as pessoas e de proporcionar um bom ambiente de trabalho.

No entanto, ter um perfil de liderança nem sempre é fácil. Por isso, há muitos chefes e poucos líderes nos laboratórios. Neste post, vamos abordar como ser um bom líder e aprender a diferenciar os aspectos da liderança, para que o negócio tenha mais êxito.

Quais as qualidades de um bom líder?

Todo bom líder possui qualidades. Elas até podem ser desenvolvidas, mas, geralmente, essas qualidades são inatas, ou seja, já estão com a pessoa desde o momento em que ela nasceu.  Assim, todo líder deve ser honesto, respeitando a ética do laboratório e mostrando aos colaboradores que este é o caminho a ser seguido. Dessa forma, poderá ser respeitado.

Também se espera que um bom líder tenha capacidade de delegar funções, mostrando que tem confiança na equipe de colaboradores. Essa atitude é feita com mais segurança quando o líder identifica os pontos fortes das pessoas com as quais trabalha.

Outra qualidade é ter uma boa comunicação. A ideia é repassar exatamente aos colaboradores o que se espera deles e mostrar que existe um canal aberto para conversas e sugestões.

O líder também deve ter bom humor, porque isso ajuda a melhorar o clima organizacional. Estar comprometido com a equipe, com a empresa e com os resultados é outro ponto necessário, que permitirá ao colaborador se sentir mais motivado quando percebe essa característica no líder.

Por fim, o bom líder deve ter criatividade para encontrar soluções, superar desafios e inspirar os colaboradores, mostrando que eles podem fazer o melhor e que serão reconhecidos por isso. Mas, se estas são as características do líder, qual a diferença com relação ao chefe?

Quais as diferenças entre ser um chefe e ser um líder?

Muitas pessoas confundem o papel do líder com o do chefe. No entanto, existe uma diferença gritante entre eles e saber diferenciar essas habilidades é fundamental para o bom funcionamento do laboratório de análises clínicas.

Chefe

O chefe tem aquele perfil mais tradicional, sendo que é um profissional que foi designado a ocupar esse posto. Por isso, sua preocupação está focada em produtividade, lucros e resultados. Ou seja, o bem-estar do funcionário, sua qualidade de vida e até mesmo o clima organizacional são secundários.

Basicamente, o chefe tem a postura de comandar, dar ordens e ser autoritário. Seu objetivo é apresentar resultados e, quando não consegue, tende a apontar culpados. O chefe trabalha de forma bastante centralizada, querendo acompanhar tudo o que acontece no processo, e, devido ao seu grau de exigência e de cobrança, os colaboradores não se sentem à vontade para conversar quando há problemas.

Em resumo, o chefe entende que qualquer atitude positiva do funcionário não é nada mais que sua obrigação.

Líder

O líder, por sua vez, tem uma postura mais democrática e tem por objetivo auxiliar os colaboradores a atingirem seus objetivos. A ideia, neste caso, é inspirar os funcionários e motivá-los, caminhando juntos rumo ao sucesso da organização.

O resultado é que, enquanto o chefe é temido, o líder é admirado, sendo procurado pelos colaboradores quando há problemas ou dúvidas com relação aos processos. Graças ao seu comportamento, o líder permite que os colaboradores emitam sua opinião, discordando e dando novas ideias, que podem ajudar a empresa a crescer.

Assim, o líder tem preocupação com as competências profissionais e pessoais de cada colaborador, oferecendo os recursos necessários para que elas sejam desenvolvidas. Apesar de não ignorar questões relativas a produtividade, lucro e resultados, o líder também se responsabiliza quando os problemas acontecem e mostra que está junto da equipe para encontrar as melhores soluções.

Como ser um bom líder?

As qualidades de um bom líder citadas anteriormente já demonstram como ser um bom líder. No entanto, existem outras ações que podem ser tomadas a fim de desenvolver esse potencial.

Segurança

Trazer segurança para a equipe é fundamental. Aplicando essa ideia a um laboratório de análises clínicas, o objetivo é que o líder mostre que todos os processos podem ser cumpridos e que os materiais necessários para os procedimentos estão disponíveis.

Dar espaço para que os colaboradores expressem suas opiniões e deem sugestões é outra forma de transmitir segurança.

Tomada de decisões

Todo bom líder precisa tomar decisões. Saber ouvir as pessoas da equipe e chegar a um denominador comum é fundamental. Por exemplo, se determinado exame precisa ser realizado, mas não há um tipo específico de material no laboratório, é possível resolver esse problema?

Neste caso, cabe ao líder do laboratório de análises clínicas e de sua equipe verificar se algo pode ser realizado ou se o paciente precisa ser encaminhado para outra unidade.

Expectativas

Em qualquer organização, o colaborador precisa saber o que a empresa espera dele. Em um laboratório de análises clínicas, não é diferente. Neste caso, é intrínseco que se espera que esse colaborador tenha boa higiene, lave sempre as mãos e seja pontual no trabalho.

No entanto, existem outras questões que devem ser levadas em consideração, como a redução dos gastos com material, o bom atendimento ao paciente, um conhecimento adequado a respeito dos processos do laboratório (tanto relativos à realização de exames quanto a funções administrativas ou ao registro de pacientes) etc.

Essa função de repassar o que se espera do colaborador é do líder, que deve sempre mostrar ao funcionário se ele está atingindo as expectativas.

Responsabilidade

Todo e qualquer funcionário precisa ter responsabilidade, mas essa característica é ainda mais importante no líder. Então, o líder precisa mostrar que não está ali somente para cobrar (atitude característica do chefe), mas que ajuda e também cumpre suas tarefas.

Em um laboratório de análises clínicas, isso pode ser verificado nos casos em que o líder não apenas cumpre suas funções relativas à gestão, mas resolve problemas com pacientes sempre que necessário, verifica se é preciso comprar algum material etc.

Feedback

O feedback é uma das ferramentas mais importantes para a gestão, porque permite ao colaborador melhorar suas atitudes e focar naquelas que já são consideradas positivas.

Por sua vez, por meio do feedback, o líder tem a oportunidade de elogiar boas iniciativas, incentivando-as, e mostrar que está preocupado com os aspectos negativos do colaborador, oferecendo a oportunidade de eles serem melhorados.

Positividade

A cultura organizacional é importante para a qualidade de vida no trabalho. Cabe ao líder criar um ambiente positivo, motivando os colaboradores e repassando força de vontade.

No caso de um laboratório de análises clínicas, isso é muito importante, porque os pacientes, muitas vezes, estão doentes, mal humorados, com problemas etc. E essa energia acaba contaminando o ambiente. Por isso, o líder deve trazer positividade, mostrando que tudo pode dar certo.

Gostou de entender como ser um bom líder? Então, veja 4 dicas para motivar os colaboradores do seu laboratório e tenha resultados ainda melhores.

Deixe seu comentário