(43) 3336-8556

Demissão sem dor de cabeça:

7 dicas para lidar com seus funcionários nesse momento
23 nov 2015

Demissão sem dor de cabeça: 7 dicas para lidar com seus colaboradores nesse momento

Demitir um colaborador não é uma tarefa fácil, principalmente por causa do desgaste emocional e pelo fato de a empresa ter que lidar com o pagamento dos direitos trabalhistas e toda a burocracia envolvida. No entanto, em alguns casos essa é a coisa mais correta a se fazer. Para amenizar o processo de decisão e saber lidar com os funcionários neste momento difícil, confira nossas seis dicas para fazer uma demissão sem dor de cabeça!

Faça uma boa análise antes de demitir um funcionário

Tanto quanto recrutar sua equipe, demitir um funcionário é uma decisão que merece ser muito bem pensada. Antes de dispensar alguém, talvez compense dar outra chance à pessoa, verificando se terá alguma melhora, em vez de demitir quando o primeiro problema aparecer. Se a pessoa não colaborou para um grave problema ou não há necessidade de cortes profundos no capital humano da empresa, a recolocação profissional ou a redução de benefícios podem ser boas saídas. Afinal, o funcionário já conhece a empresa, sabe a rotina, entende os processos – o que evita desgastes com novos treinamentos e adaptação.

Escolha o local e ambiente corretos

Se mesmo depois de uma boa análise a empresa decidir que o melhor a se fazer é a demissão, é necessário pensar em como isso acontecerá. A reunião para demitir deve acontecer em uma sala fechada, evitando que o colaborador passe por algum constrangimento. Caso a sala tenha paredes de vidro, será preciso fechar as cortinas, para reduzir qualquer forma de exposição. O gestor deve estar acompanhado pelo profissional do setor de Recursos Humanos, que será sua testemunha e responderá as dúvidas do demitido.

Tenha cordialidade

Apesar da tensão do momento, é preciso que o gestor busque criar um clima tranquilo, dizendo sempre a verdade, para que o empregado saiba o que o levou a ser dispensado, entenda o que errou e busque melhorar. Ser franco com o demitido serve como auxílio para seu amadurecimento. Evite que as emoções atrapalhem este processo e tenha foco nos resultados.

Defina os detalhes

Para agilizar o processo, informe bem os detalhes, como os que dizem respeito ao salário, se o empregado permanecerá até o final do dia ou semana, equipamentos que estão com ele, assistência que será oferecida, direitos trabalhistas, entre outros.

Realize um plano de carreira

Caso a demissão seja sem justa causa, ou seja, por motivos de força maior, como crises financeiras, fechamento de setor ou cortes de orçamento, forneça oportunidades ao demitido, indicando-o às empresas de parceiros ou conhecidos. Fazer disso uma postura rotineira fará com que a segurança e confiança no ambiente de trabalho aumentem.

Prepare toda a documentação necessária

É essencial que a empresa evite qualquer lacuna que possa servir como algum processo trabalhista no futuro. A documentação afim pode ser coordenada pelo setor de Recursos Humanos, tendo o auxílio do setor jurídico da empresa. Guarde os documentos que influenciaram na decisão, como atas administrativas e avaliações de desempenho.

Tenha noções legais para demitir

Demissão sem justa causa

Na demissão sem justa causa, o funcionário não tem culpa. Ela ocorre por motivos de força maior, podendo ser um corte de custos ou fechamento de algum setor da empresa. Neste caso, os custos trabalhistas são:

  • Aviso prévio: colaborador tem direito de continuar por mais 30 dias e receber mais 1/12 do 13º e 1/12 de férias;
  • 13º salário: pagamento de acordo com o período trabalhado;
  • Férias: funcionário deve receber seu valor integral, com 1/3;
  • FGTS: empresa paga multa de 50% dos depósitos do FGTS realizados;
  • Saldo de salário: tempo trabalhado no mês anterior, com comissões e horas extras.

Demissão por justa causa

A demissão por justa causa acontece quando o colaborador comete falta grave. Nessas condições, os gastos com a demissão são menores, pois o funcionário não tem acesso a alguns direitos. O que ele deve receber inclui:

•   Saldo de salário: apenas do tempo trabalhado;

•   Férias: proporcionais ou vencidas com abono de 1/3.

Lidar com demissão requer muita cautela e responsabilidade. Afinal, é uma decisão que não tem volta. Dessa forma, busque sempre ser ético e honesto com o funcionário, sempre atento para seus direitos trabalhistas. Como a sua empresa costuma lidar com demissões? Dê a sua opinião!