(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
29 ago 2016

EPIs em laboratórios de análises clínicas: quais são e qual a sua importância

//
Comentários0

Zelar pela segurança dos colaboradores e pacientes é uma das metas mais importantes dentro de laboratórios de análises clínicas. São diversos procedimentos que, caso não sejam utilizados equipamentos e materiais adequados para uma proteção eficiente, podem colocar em risco a saúde de todos os envolvidos.

A única forma de evitar ou mesmo reduzir os perigos de infecção contra materiais biológicos é utilizando os Equipamentos de Proteção Individual — os EPIs. Não importa o setor de atuação ou mesmo o procedimento executado, o uso de EPIs deve fazer parte da rotina de todos os envolvidos dentro de um laboratório, uma vez que, para as análises clínicas, diversas substâncias potencialmente infecciosas são manuseadas diariamente.

A utilização correta destes equipamentos oferece proteção aos técnicos e aos analistas clínicos contra diversas doenças, como AIDS e a hepatite e, portanto, seu uso acaba se tornando indispensável. Muito além de uma obrigação, o uso de dispositivos de segurança deve ser uma prática rotineira dentro de um laboratório de análises e o colaborador deve conhecer sua importância e sua correta utilização.

Para cada função de risco, existe um tipo de EPI adequado e, pensando nisso, vamos apresentar alguns dispositivos indispensáveis e obrigatórios para a execução de tarefas diárias em um laboratório de análises clínicas.

Jaleco

O jaleco é um importante dispositivo de proteção individual que oferece aos funcionários a segurança contra eventuais perigos que, por ventura, venham a ocorrer, como contato com materiais biológicos, substâncias tóxicas ou mesmo derramamento de reagentes.

Para quem executa qualquer tipo de tarefa dentro de um laboratório de análises, o uso  de EPIs se torna obrigatório, uma vez que serve como uma barreira para proteger o corpo contra os riscos e perigos de substâncias e materiais perigosos.

O recomendado é que o jaleco tenha mangas longas e de comprimento até os joelhos, exclusivamente feito de algodão e que não seja inflamável. O funcionário deverá manter seu jaleco sempre em perfeitas condições e limpo.

Máscara

Este dispositivo é indispensável para proteger funcionários durante procedimentos em que são manuseados gases e substâncias tóxicas. Colaboradores que deixam de utilizar máscaras de proteção estão se expondo a vapores tóxicos que podem comprometer a saúde, uma vez que muitos procedimentos lidam com materiais particulados e que, em contato com a corrente sanguínea, podem ocasionar problemas no aparelho respiratório e levar a intoxicações graves.

O material pode variar conforme o tipo de risco, podendo ser contadas com filtro mecânico, filtro combinado ou filtro químico.

Óculos de proteção

Os óculos de proteção são de extrema importância e que, em hipótese alguma, podem deixar de serem utilizados. Assim como as máscaras, os dispositivos de proteção ocular conferem ao usuário segurança contra perigos associados a respingos de materiais biológicos e químicos, além de vapores tóxicos que podem afetar o local exposto.

É importante destacar que o material dos óculos de proteção deve ser transparente e não pode comprometer o campo de visão, ou seja, que não distorça a imagem. A utilização deste tipo de EPI é indispensável quando estiver manuseando substâncias que ofereçam periculosidade à saúde dos olhos do colaborador.

Luvas

A luva deve ser um dos primeiros acessórios a ser colocado no corpo antes de qualquer procedimento. Muitas substâncias podem ultrapassar a pele, o que oferece riscos à saúde. Sua utilização é indispensável antes de toda e qualquer análise que envolva contaminantes, substâncias tóxicas e corrosivas, além de materiais irritantes.

Agora que você está por dentro dos principais dispositivos de proteção individual, que tal compartilhar conosco sua opinião? O espaço para comentários é todo seu.

Deixe seu comentário