(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
11 maio 2018

Como o laboratório pode atender melhor mães com crianças no colo e grávidas?

//
Comentários0

É de conhecimento popular que a prioridade no atendimento para grávidas, lactantes e pessoas com crianças de colo é garantida por Lei. Contudo, atender melhor mães e gestantes não deve ser apenas uma preocupação de cumprimento da norma em vigor.

Antes, deve-se pensar nesse público como uma oportunidade de demonstrar o atendimento excelente do laboratório. Quer entender melhor esse assunto? Venha conosco!

Qual é a importância de atender melhor mães com crianças e gestantes?

Um pilar no atendimento: o bom relacionamento com o cliente. No caso de atender gestantes e mães com crianças de colo, é preciso entender que pela quantidade de exames necessários tanto para a mãe quanto para seus bebês, um bom atendimento pode fazer toda a diferença na retenção e aquisição de novas clientes do mesmo público.

Em outras palavras, ser um laboratório bem referenciado nesse atendimento pode fazer com que muitas outras clientes busquem os serviços. Afinal, lembre-se de que cliente satisfeito é o melhor marketing que uma empresa pode ter.

Então, foque nesse propósito, pois as pequenas atitudes também demonstram o quanto o laboratório valoriza o bom atendimento desse público, em especial.

Como é possível atender melhor as necessidades desse público?

É preciso tomar conhecimento da legislação sobre o assunto. Você sabia, por exemplo, que lactantes têm direito preferencial mesmo quando não estão com seus bebês? Essas questões devem estar dentro do conhecimento da gestão do laboratório.

Pensando nisso, preparamos a seguir 3 tópicos importantes para melhorar o atendimento de mães. Acompanhe:

Faça a prioridade valer

Quando pessoas com crianças de colo e gestantes chegam ao laboratório, garanta que a prioridade no atendimento seja delas. Ainda que a criança não esteja chorando, trate de reservar assentos — além de tomar outros cuidados, como conferir a temperatura do ambiente no caso de recém-nascidos estarem no local, agilizar os processos de triagem e preenchimento de dados etc.

Entenda como auxiliar

É interessante também ter amparo no caso da lactante precisar alimentar ou trocar o bebê. Mesmo que o laboratório não tenha um lugar específico, é sempre importante ter condições para atender esse tipo de necessidade.

No geral, pense no que pessoas que se encaixam nessas condições podem sentir ou precisar, e as atenda dentro do possível. Se você não sabe como, efetivamente, colaborar para o conforto desse público, pergunte! Faça pesquisas e peça sugestões.

Treine a sua equipe

Os dois tópicos acima se complementam neste terceiro. Para que o atendimento preferencial seja válido e as preocupações com o bem-estar das mães e gestantes dentro do laboratório sejam positivas, a equipe tem que estar apta a enxergar essas situações como oportunidades de cativar a clientela.

Ainda que o laboratório não tenha recursos para entreter uma criança, como uma brinquedoteca ou algo do tipo, um bom colaborador pode rapidamente oferecer uma folha para que ela rabisque, por exemplo.

Já no caso de exames em crianças, os profissionais que realizam os procedimentos precisam ser treinados para lidar com elas, garantindo que a experiência seja tranquila (vemos a importância disso na aversão que a maioria das crianças tem às vacinações, por exemplo).

Enfim, como vimos, o bom atendimento desse público é uma lacuna a ser preenchida no mercado. Aliás, atender melhor mães com crianças de colo e gestantes pode até se tornar um diferencial competitivo, se colocado em pauta como uma estratégia pela administração do laboratório.

E aí, gostou da leitura? Também acha esse assunto muito importante? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude a espalhar essas dicas!

Deixe seu comentário

Vendas