(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
Entenda os níveis de biossegurança para laboratórios
18 jan 2019

Entenda os níveis de biossegurança para laboratórios

//
Comentários0

O ambiente laboratorial é carregado de riscos, tanto para os trabalhadores como para a natureza. Por isso, é extremamente importante que os laboratórios sigam as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), atendendo as exigências dos níveis de biossegurança para minimizar os riscos.

As normas de segurança são fundamentais para a proteção da comunidade, dos colaboradores e do meio ambiente. No post de hoje, explicaremos os quatro níveis determinados pela Anvisa na Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) n° 50 e quais são as práticas inerentes a cada um deles. Confira a seguir!

O que são os níveis de biossegurança?

A biossegurança é um conjunto de práticas, metodologias, princípios de contenção e tecnologias que ajudam a evitar a exposição a agentes patogênicos e toxinas. Essas estratégicas são responsáveis por minimizar a chance de ocorrência de liberação acidental desses elementos. Os níveis de biossegurança são uma gradação de medidas e cuidados de acordo com o potencial risco do que é manejado no laboratório.

Essas precauções levam em consideração:

  • posturas de trabalho;
  • utilização de equipamentos de segurança;
  • instalações no ambiente de laboratório.

Cada nível está atrelado à classe de risco do respectivo número. A classe de risco 1 é a de menor potencial letal, enquanto a classe 4 é altamente perigosa para o colaborador e para a comunidade.

Os níveis de biossegurança foram determinados pela Anvisa na Resolução da Diretoria Colegiada número 50 de 21 de Fevereiro de 2002. Essa normatização foi fundamental para a regulamentação dos laboratório e para a promoção da segurança para trabalhadores e comunidade.

Quais são os níveis de biossegurança?

Veja a seguir quais são os níveis de biossegurança e quais são os cuidados em cada um deles:

Níveis de biossegurança (NB 1)

Determinado para a manipulação de agentes da classe de risco 1, que envolvem microrganismos que têm baixa probabilidade de provocar doenças em homens ou animais. Como exemplo, temos o Saccharomyces cerevisiae, que é a levedura da cerveja. Dessa forma, não são necessários equipamentos específicos de proteção (barreiras primárias) e quanto às instalações (barreiras secundárias) são exigidas apenas bancadas abertas com pias próximas.

Todos os colaboradores devem ser treinados para os procedimentos específicos do laboratório, supervisionados por um profissional com domínio em biossegurança e ter o trabalho norteado pelas Boas Práticas Laboratoriais, que são:

  • lavagem de mãos;
  • não comer, beber e fumar. Os alimentos devem ser mantidos fora da área de trabalho;
  • evitar o uso de calçados abertos;
  • utilizar dispositivos mecânicos para a pipetagem, sendo proibido fazê-lo pela boca;
  • não usar acessórios como anéis, relógios e pulseiras durante as atividades laboratoriais;
  • possuir kit de primeiros socorros;
  • realizar a desinfecção das superfícies de trabalho ao final do uso ou quando houver contato direto de material viável;
  • possuir programa de controle de insetos e roedores.

Como são os equipamentos de segurança e as instalações no nível de biossegurança 1?

Os equipamentos de proteção utilizados são jaleco, óculos e luvas.

Já as instalações seguem a normatização de um laboratório normal, incluindo bancadas impermeáveis, de fácil limpeza e descontaminação, com material resistente à ácidos, solventes orgânicos, álcalis e calor moderado.

O ambiente laboratorial deve permitir uma fácil circulação e limpeza. É necessária a presença de uma pia para a lavagem das mãos e dos materiais. Além disso, o laboratório não precisa ficar separado da edificação.

Níveis de biossegurança (NB 2)

O nível de biossegurança 2 envolve todos os cuidados do NB 1, com algumas adições. Ele é adequado ao trabalho que envolva agentes com classe de risco 2, sendo microrganismos que podem causar infecção mas que são de tratamento fácil e eficaz — representando risco individual moderado e baixo para a comunidade. Alguns exemplos são o vírus da hepatite B e a salmonela.

As práticas específicas são:

  • possuir acesso limitado;
  • dispor de aviso de Risco Biológico;
  • possuir precauções para objetos perfuro cortantes;
  • ter Manual de Biossegurança que possua indicações para qualquer descontaminação de resíduos ou normas de vigilância médica.

Como são os equipamentos de segurança e as instalações no nível de biossegurança 2?

No nível de biossegurança 2, há recomendação do uso de equipamentos de segurança, como luvas, jalecos e proteção para o rosto (máscara descartável) quando necessário. Quando a manipulação de agentes provocar aerossóis ou vazamentos de materiais infecciosos, é determinado o uso de Cabines de classe I ou II. No que se refere às instalações, é recomendado o mesmo do NB 1 acrescido de Autoclave. O autoclave é um equipamento para a esterilização de materiais por via de calor úmido.

Níveis de biossegurança (NB 3)

Destinado ao trabalho com agentes de risco biológico de classe 3, que são potencialmente fatais e apresentam elevado risco individual e baixo risco para a comunidade. O acesso é rigorosamente controlado e todo o lixo deve passar por desinfecção.

As roupas usadas no ambiente laboratorial também devem passar por desinfecção antes de serem lavadas. Além disso, é necessário coletar e armazenar amostra sorológica de cada colaborador exposto ao risco como referência.

Como são os equipamentos de segurança e as instalações no nível de biossegurança 3?

Os equipamentos de segurança desse nível são semelhantes ao NB 2, acrescentando o uso das Cabines de biossegurança de classe I ou II em todas as manipulações de agentes abertas.

A instalações seguem o NB 2 somadas a separação física dos corredores de acesso, portas duplas com fechamento automático, ar de exaustão que não deve voltar a circular e o fluxo negativo dentro do laboratório. É necessário que haja controle de entrada por meio de uma antessala. A área deve ser separada do fluxo geral.

Níveis de biossegurança (NB 4)

Referente a laboratórios em que os colaboradores estão expostos a agentes altamente patogênicos, de fácil propagação, que não possuem medidas terapêuticas ou profiláticas, representando um elevado risco individual e para a comunidade. Um exemplo é o vírus do ebola.

Consequentemente, todos os procedimentos devem ser realizados dentro de Cabine classe III ou em Cabines de classe I ou II, juntamente ao uso do macacão de pressão positiva com suprimento de ar. As práticas de segurança também devem ser executadas criteriosamente e envolvem mudança de roupa antes de entrar, banho ao sair e descontaminação de todo o material na saída do laboratório.

Como são os equipamentos de segurança e as instalações no nível de biossegurança 4?

Quanto às instalações, é necessário seguir as recomendações do NB 3, sendo que o edifício ou a área do laboratório devem ser isolados, os sistemas de abastecimento e escape devem ser a vácuo e possuir eficiente sistema de descontaminação, além de outras especificações descritas a serem seguidas devido ao risco envolvido.

Os níveis de biossegurança para laboratórios são fundamentais para a proteção dos profissionais que trabalham no local e também para garantir a segurança da comunidade e da natureza.

Dependendo do nível de risco, a complexidade dos cuidados aumenta proporcionalmente. Os equipamentos de segurança e instalações também estão incluídos nesse processo. As adaptações ambientais são necessárias para a proteção dos colaboradores, do meio ambiente e das pessoas no entorno.

E então, compreendeu melhor como funcionam os níveis de biossegurança para laboratórios? Uma outra dica disponível nesse outro post envolve práticas de como fazer uma gestão laboratorial eficiente e prevenir ainda mais alguns riscos.

Deixe seu comentário

Vendas