(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
7 dez 2018

Conheça 5 boas práticas para o transporte de material biológico

//
Comentários0

Além de adotar práticas de gestão de resíduos, tomar medidas de segurança e cuidado no transporte de material biológico é fundamental. Caso contrário, possíveis problemas podem surgir — alguns deles são: infecção de trabalhadores e perda total do material coletado.

Mas como garantir as boas práticas de transporte desse tipo de material? Algumas medidas, como considerar a variação cronobiológica e criar uma soroteca, são necessárias. Fazer a identificação correta também é essencial.

Quer saber mais? Continue a leitura e conheça 5 práticas fundamentais para transportar materiais biológicos, além de algumas normas previstas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para esse tipo de situação!

1. Considere a variação cronobiológica

Algumas amostras podem se tornar inúteis para a análise laboratorial se não forem analisadas em tempo hábil. Por isso, é fundamental considerar a variação cronobiológica durante o transporte.

Ou seja: é preciso levar em conta se o tempo de deslocamento não afetará a qualidade da amostra. Geralmente, quando as distâncias forem muito grandes, será necessário adotar algum método específico de acondicionamento para preservar a amostra.

2. Faça a identificação

Já imaginou dar de cara com uma amostra sem identificação ou feita de maneira errada? Isso gera retrabalho, desorganização e, na pior das hipóteses, erros nas análises e na entrega de resultados.

Portanto, faça a identificação do material logo na primeira interação com o paciente. Recolha todas as informações necessárias e organize esses detalhes tanto no banco de dados do laboratório quanto nas etiquetas que acompanham o material.

3. Realize a acreditação laboratorial

Trata-se de um processo no qual o laboratório procura certificação. A acreditação laboratorial indica que a empresa apresenta um alto grau de eficiência nos processos e segue os padrões reconhecidos pelos órgãos competentes para o manuseio de amostras biológicas.

Um laboratório certificado não só atua em conformidade com as melhores práticas, mas também conquista o prestígio da clientela.

4. Utilize os materiais adequados

Amostras guardadas em recipientes inadequados podem se contaminar ou acabarem perdidas. Com isso, o laboratório também perde a exatidão do procedimento, o que causa transtorno tanto ao cliente quanto ao próprio laboratório.

Nesse sentido, é essencial utilizar equipamentos, recipientes, embalagens e demais instrumentos da forma adequada. Procure saber a especificidade de cada material e o acondicione em um local propício.

5. Implemente uma soroteca

Diariamente, inúmeras amostras são armazenadas e, com isso, novos procedimentos são relacionados às informações de diferentes pacientes. Para gerenciar esses dados de forma eficiente, é preciso se abrir para a Transformação Digital e implementar uma soroteca.

Trata-se de uma espécie de biblioteca de amostras, ou seja, uma infraestrutura capaz de organizar dados de maneira que sejam acessados mais facilmente. Entre outras vantagens, a soroteca otimiza o tempo e reduz a possibilidade de erros.

Bônus: principais normas da Anvisa para o transporte de material biológico

A Anvisa tem um manual que descreve as normas para a melhor forma de transportar materiais biológicos. Para tanto, esse tipo de material é separado em categorias com especificidades que devem ser respeitadas no momento do transporte.

Com um material biológico infeccioso, cuja exposição pode resultar em incapacidade permanente (como o vírus da hepatite B e da gripe aviária), por exemplo, é necessário ter muito cuidado.

Durante o transporte e nos locais de carga, descarga ou transbordo, as amostras infecciosas devem ser mantidas isoladas/separadas de gêneros alimentícios e outros produtos de consumo humano ou animal.

Já no caso de materiais biológicos humanos isentos de agentes infecciosos, existem outras particularidades. Independentemente do modo de transporte, eles devem ser acondicionados em sistemas de embalagem tripla. Para o transporte no ambiente interno, é adotado o sistema de embalagem dupla.

Essas foram algumas informações primordiais para o transporte de material biológico. Eventualmente, o processo pode trazer gastos para o laboratório, influenciando na gestão de custos. Mas é importante perceber que se trata de um investimento, pois respeitar as normas traz credibilidade e eficiência para o laboratório.

E então, quer deixar seu laboratório mais completo? Entre em contato conosco e conheça nosso software para gestão de laboratórios!

Deixe seu comentário

Vendas