(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
14 maio 2018

Como oferecer exames de intolerância alimentar em laboratórios?

//
Comentários0

Normalmente, a intolerância e a alergia alimentar são diagnosticadas na infância. Porém, adultos também estão sujeitos ao desenvolvimento desta complexidade na digestão.

Como se sabe, existem exames específicos para diagnosticar esses problemas digestivos, os testes podem ser feitos em laboratórios e são muito importantes para prevenção e tratamento.

Neste artigo, você conhecerá os principais testes de intolerância alimentar, os mais procurados pelos pacientes e como os laboratórios podem se preparar para oferecer esse tipo de diagnóstico. Confira!

Principais testes de intolerância alimentar

Atualmente, dominam no mercado dois tipos de análises para diagnosticar sensibilidade alimentar: exame laboratorial e o teste eletromagnético ou homeopático.

De acordo com a ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia), exames podem ser feitos para detectar alergia alimentar. Dentre eles, destacam-se:

  • RAST: exame de sangue feito para pesquisar presença de anticorpos IgE para o alimento suspeito do desencadeamento das alergias;
  • teste cutâneo (Prick teste): realizado na superfície da pele utilizando alérgenos dos alimentos suspeitos.

Para indicar intolerância, o teste de sangue consiste na análise quantitativa dos níveis de IgG/IgG4, relativo aos alimentos em questão. Assim, a interpretação dos resultados é feita a partir desses valores integrados — com avaliação clínica apropriada.

Testes mais procurados pelos pacientes

Dentre os exames laboratoriais mais procurados pelos pacientes, encontram-se os testes de intolerância à lactose e ao glúten. Conheça um pouco sobre eles:

Intolerância à lactose

A intolerância à lactose é diagnosticada a partir da ligação entre os sinais, aspectos clínicos e os exames disponíveis. O teste analisa a capacidade de absorção de lactose pelo intestino. Nesse exame, ocorre avaliação da taxa de glicose no sangue antes e depois da deglutição, em jejum, de um líquido que contém lactose.

Outro teste é o do hidrogênio expirado, onde é avaliada a taxa de hidrogênio na expiração após a ingestão da substância que contém lactose. O teste menos utilizado é o que mede acidez das fezes. É efetuado a partir das fezes recém-eliminadas.

Intolerância ao glúten

No caso do diagnóstico de intolerância ao glúten, existem pelo menos cinco exames para apresentar o resultado, todos de sangue, feitos em laboratórios. Dentre os mais pedidos pelos profissionais da saúde, estão: anti-endomisio, trasglutaminase tecidual, gliadina e o estudo molecular DQ2 e DQ8.

Diferentes de reações em testes cutâneos e reações de hemoglobina

Os testes cutâneos são rápidos, causam o mínimo de dor e, em grande parte dos casos, seus resultados são obtidos em 20 minutos. É colocada sobre a pele do antebraço uma gota de alérgenos, por meio de pequenos furos com agulha.

Uma reação parecida com a picada de um mosquito aparece no local do teste e determina se o alérgeno testado é responsável pelos sintomas.

Se os testes cutâneos não forem consistentes com as informações descritas, pode ser solicitado exame de sangue. O mais efetuado é o de dosagem sanguínea da “imunoglobulina E” total ou específica, em que os anticorpos interferem nas reações alérgicas devido ao alérgeno suspeito.

Como os laboratórios podem se preparar para oferecer esse tipo de diagnóstico

Com a competição cada vez mais acirrada, os laboratórios de análise clínicas devem se preparar para oferecer diagnósticos cada vez mais eficientes, visto que os clientes estão cada vez mais exigentes. Isso pode ser feito com contratação de software para laboratórios.

Os laboratórios necessitam se aperfeiçoar utilizando a tecnologia na busca por diagnósticos mais rápidos, baratos e precisos, além de estimular os pacientes a buscarem prevenção e diagnóstico por meio da relação paciente-laboratório durante o atendimento e pós-atendimento.

Com o aperfeiçoamento da tecnologia usada pelos laboratórios, podem ser feitas  análises computadorizadas do sangue coletado, no qual são destacados os alimentos específicos e responsáveis pela hipersensibilidade e intolerância.

Assim, pode se afirmar que muitas pessoas são diagnosticadas com alergia e intolerância alimentar, mas, com os avanços tecnológicos, os exames de intolerância alimentar podem ser mais rápidos e eficazes.

Vale ressaltar a importância dos laboratórios em investir na tecnologia da saúde e na personalização de seu atendimento, para que essa realidade resulte na satisfação de seus pacientes.

Gostou deste artigo? Então participe conosco deixando seu comentário sobre o assunto.

Deixe seu comentário

Vendas