(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
16 out 2017

5 erros que empreendedores brasileiros devem evitar ao abrir um laboratório

//
Comentários0

Seja qual for o ramo de atuação, o Brasil não é um país muito fácil para novos negócios. Além da enorme burocracia envolvida no processo de abertura de uma nova empresa, os empreendedores brasileiros sofrem também com uma alta taxa tributária.

Tudo isso contribui para que cada vez mais empreendimentos sejam findados precocemente no nosso país. Apesar disso, não são apenas fatores externos que justificam o insucesso de vários negócios no Brasil — existe também, por parte do empresariado, um alto despreparo em gestão que dificulta o sucesso das empresas.

Para empreendimentos do segmento laboratorial, isso não é diferente. Muitas vezes, quem abre um laboratório não possui um grande conhecimento de gestão e, assim, comete alguns erros que impactam diretamente na sustentabilidade do negócio. Alguns desses equívocos podem ser evitados com mais informação. Confira este post e saiba mais!

Começar sem um plano de negócios

Um plano de negócios é fundamental. Com ele o empreendedor consegue ter ao menos uma ideia de como seu negócio vai funcionar, qual a receita é esperada, qual é a demanda mínima necessária para que o negócio seja viável, como serão adquiridos os clientes, quais investimentos deverão ser feitos, quando o negócio vai rodar sem a necessidade de novos aportes financeiros, etc.

Enfim, são inúmeras perguntas que precisam ser respondidas antes de um laboratório sequer abrir as portas. Afinal, só com essas respostas é possível ter uma noção clara de como o negócio será sustentado.

No caso dos laboratórios ainda existe um agravante frente a outros negócios, pois nesse ramo muitas vezes é necessário comprar muitos materiais para o início das atividades. Isso requer um investimento inicial mais alto, que deve ser planejado com cuidado. Os sócios precisam ter uma noção real do prazo no qual o investimento trará retorno, quando e quais novos investimentos precisarão ser realizados.

Cair na desorganização financeira

Em laboratórios, muitas vezes os sócios não têm um conhecimento adequado de finanças e, portanto, não organizam corretamente esse setor da empresa — o que pode gerar problemas.

Um exemplo claro de desorganização é a não distinção entre o dinheiro da empresa e o dinheiro dos empreendedores, pois, nesse caso, corre-se o risco de que os sócios estejam fazendo um investimento maior do que o planejado, ou que estejam retirando um capital que deveria ser reinvestido na empresa.

A desorganização financeira não se dá apenas nesse ponto: precauções diversas devem ser tomadas para evitar desacertos. Na formalização da empresa, por exemplo, deve-se atentar para que todas as taxas para sua abertura sejam quitadas corretamente.

À medida que o negócio começa a operar, essa necessidade de organização se agrava, pois impostos precisam ser pagos, materiais comprados, funcionários pagos — e tudo isso requer uma boa organização financeira. Para alcançá-la é preciso manter o controle das entradas e saídas, assim como fazer as projeções de forma bastante assertiva.

Não ter um manual de conduta

O manual de conduta é algo extremamente válido para qualquer negócio, inclusive para os laboratórios. É nele que se estabelecem as politicas da organização, que se determina como será o funcionamento da empresa e quais regras seguir.

Ele não precisa, necessariamente, ser um documento extenso e cheio de minúcias, mas deve conter as diretrizes principais para que os colaboradores saibam exatamente o comportamento que é esperado deles.

Entre os termos que devem constar em um documento como esse estão a missão, a visão e os valores da empresa, além de alguns aspectos mais práticos como escala de trabalho, horário de acordo com a função ocupada, política da empresa em relação a atrasos e absenteísmo e padrões de vestuário, por exemplo.

Não fazer uma boa gestão dos funcionários

Um ponto importante para toda e qualquer empresa são os funcionários. É preciso estar atento a todas as etapas dessa gestão, desde a contratação, ao dia a dia do trabalho e até a eventuais demissões.

Primeiramente, quando se contrata um funcionário é preciso garantir que ele de fato possui a competência necessária para cumprir com as atribuições do cargo. Durante a execução do trabalho é preciso também tomar cuidados para manter os colaboradores engajados, cumprindo bem suas funções e seus horários de trabalho.

É importante, ainda, ter uma estrutura de cargos e salários bem definida, pois, além de motivar os funcionários, isso evita eventuais passivos trabalhistas. Por fim, caso seja necessário demitir algum colaborador, é preciso garantir que tudo seja feito exatamente dentro das conformidades legais.

Não investir em um gerenciador de ambiente laboratorial

A tecnologia se faz cada vez mais presente no nosso cotidiano e, atualmente, é uma aliada imprescindível de todas as empresas. Hoje é praticamente impossível pontuar algum negócio que não necessite de recursos tecnológicos para funcionar.

O potencial da tecnologia extrapola o uso de computadores para ferramentas padronizadas como Microsoft Word e Excel, por exemplo. Existem vários softwares customizáveis para cada tipo de negócio, que facilitam e muito a gestão das empresas.

Afinal, esses softwares possuem a capacidade de delinear os processos da organização de forma clara, assim como de melhorar os relatórios gerenciais. Com isso, os gestores possuem mais informações para agir e otimizar a qualidade do serviço prestado aos clientes.

Para o contexto dos laboratórios, os gerenciadores de ambiente laboratorial conseguem atender a todas as demandas do dia a dia das empresas do segmento e são úteis para processos que vão desde a recepção dos clientes até o faturamento das notas.

Isso inclui atividades como coleta, recoleta, triagem, controle de qualidade e interfaceamento com equipamentos e laboratórios de apoio. O uso dessa ferramenta é, portanto, essencial, pois reduz o tempo que o empreendedor e os funcionários empregam em tarefas operacionais, deixando-os livres para focar em assuntos mais estratégicos para o negócio.

Também vale destacar que outra grande vantagem dos gerenciadores é a dinâmica que um software como esse dá ao laboratório. Por ter processos automatizados, o fluxo das atividades ocorre de forma muito mais rápida, propiciando um aumento da produtividade da companhia.

Como você pôde notar, abrir um laboratório não é simples. Afinal, a maioria dos empreendedores desse ramo nem sempre conta com o suporte necessário para iniciar bem suas atividades.

Por isso é importante que os gestores busquem sempre aprimorar os próprios conhecimentos. Aproveite o embalo e confira o nosso “Guia prático: saiba como montar um laboratório de análises clínicas” para aprender mais sobre o assunto!

Deixe seu comentário

Vendas